5 perguntas sobre sobre Abdominoplastia

Qual a finalidade da Abdominoplastia?
Melhorar o aspecto do abdome, diminuindo a flacidez, o excesso de pele e o excesso de gordura.

Quem é candidata a esse procedimento?
Pacientes que possuam flacidez abdominal, excesso de pele, estrias na porção inferior etc. Estas alterações geralmente são causadas pelas gestações, grande perda de peso ou envelhecimento. Abdominoplastia não é indicada para quem tem obesidade ou problema de saúde importantes. Da mesma forma, pacientes que não possuem flacidez e excesso de pele abdominal não devem se submeter ao procedimento, podendo até apresentar resultados desfavoráveis, como cicatrizes inestéticas.

Como é realizado o procedimento?
Inicialmente é removido o excesso de pele e gordura da porção inferior do abdome. Geralmente uma lipoaspiração para a retirada de gordura dos flancos e abdome superior é realizada simultaneamente. É feita uma sutura da musculatura abdominal na linha média, de modo a dar firmeza e afinar a cintura. Finaliza-se com a transposição do umbigo, proporcionando um aspecto mais jovial e o fechamento com uma cicatriz escondida pelo biquíni ou roupa intima.

Qual o período de recuperação?
A cirurgia é feita de forma ambulatorial e o paciente recebe alta hospitalar no mesmo dia do procedimento. Inicialmente é adotada uma postura mais “encurvada” para não forçar a cicatriz na porção inferior do abdome. São necessários 10 dias de repouso e após esse período o paciente começa a retomar suas atividades de forma gradativa. Exercícios físicos são liberados geralmente após 30 dias.

Quais as possíveis complicações dessa cirurgia?
Vão desde complicações menos importantes, como pequenas deiscências (abertura da cicatriz) e pequenos sangramentos até complicações mais graves como trombose venosa profunda e tromboembolismo. O mais importante é que a cirurgia seja feita por um cirurgião plástico qualificado (procure o seu no site da SBCP) e que uma rigorosa revisão de sua saúde seja feita no pré-operatório. Seguindo corretamente essas diretrizes os riscos são minimizados, fazendo da abdominoplastia um procedimento extremamente seguro.

Mitos sobre a mamoplastia de aumento ou prótese de silicone

Mama com silicone não cai nunca mais
Não é verdade. Não importa a técnica utilizada, o tamanho ou o tipo da prótese. A mama continua sofrendo os efeitos do envelhecimento, mudança de peso, gestação, amamentação etc. Algumas das pacientes terão um resultado mais duradouro devido as suas características, mas todas com o passar do tempo irão cair em maior ou menor grau.

Quem tem prótese de silicone não pode fazer exames preventivos para o câncer de mama
Pode sim, inclusive deve. A prótese de silicone não altera a capacidade de detecção do câncer de mama e não impede a realização de nenhum tipo de exame

Após a cirurgia não poderei mais amamentar
Não é verdade. A glândula mamária não é lesada durante a cirurgia e a capacidade de amamentar permanece a mesma. A sensibilidade do mamilo assim como a temperatura da mama também não sofrem alterações, salvo em casos raros ou com o uso de próteses muito grandes.

As próteses anatômicas em forma de gota geram um resultado mais natural que as redondas
Nem sempre. O resultado depende muito mais de fatores como a elasticidade da pele, tamanho do implante e cobertura da prótese do que realmente do seu formato. O tipo de prótese deve ser individualizado para cada paciente, de acordo com criteriosa avaliação do cirurgião plástico

Vou colocar o mesmo tamanho de prótese que uma amiga colocou e terei o mesmo resultado
Não. Assim como o formato da prótese, seu tamanho não é o único determinante do resultado. Cada paciente é única e terá um aspecto pós-operatório próprio.

As próteses devem ser trocadas de 10 em 10 anos
Isto não é mais necessário. Com a evolução dos exames de imagem e da qualidade das próteses já é possível prolongar bastante o período de troca, não havendo mais um prazo fixo. É importante manter revisões periódicas e o implante só será trocado se apresentar alguma alteração.

Perguntas e respostas sobre a Lipoaspiração

A lipoaspiração é um procedimento muito arriscado?
Não. Quando realizada por um cirurgião plástico habilitado, em hospitais qualificados e em pacientes com boa saúde a lipoaspiração é um procedimento muito seguro, com baixos índices de complicações. Uso de bomba para compressão venosa, anticoagulante e mobilização precoce são alguns dos fatores que contribuem para a diminuição do risco.

Que tipo de anestesia é utilizada neste procedimento?
Na grande maioria dos casos é feita anestesia peridural com sedação. O paciente já está dormindo no momento da peridural, de modo que não vê, não ouve e não sente absolutamente nada durante todo o procedimento.

Quantos quilos vou emagrecer com a lipoaspiração?
Naturalmente haverá certa redução de peso dependendo da quantidade de gordura aspirada, porém o resultado estético depende muito mais da proporção entre as regiões corporais do que da quantidade de “quilos” que foram retirados. É importante lembrar que a lipoaspiração não é indicada para emagrecimento, mas sim para retirada de gorduras localizadas, com consequente modelagem do corpo e redução de medidas.

Como são os resultados?
Variáveis de acordo com cada caso e a resposta do organismo. Fatores que determinam um melhor resultado são a quantidade de gordura a ser retirada, elasticidade da pele, idade, entre outros. O aspecto final se dará somente após 6 a 12 meses do pós-operatório, contudo já é possível observar uma grande mudança após o 30º dia.

Quanto tempo dura a cirurgia?
Varia de uma hora e meia a três horas. O paciente recebe alta do hospital no mesmo dia do procedimento, tão logo esteja bem recuperado da anestesia, de acordo com uma avaliação médica na sala de recuperação.

Há muita dor no pós-operatório?
A dor não costuma ser intensa e responde muito bem às medicações analgésicas. É importante que o paciente siga rigorosamente o período do repouso indicado e a prescrição médica.

Quanto tempo de repouso é necessário?
Esse tempo varia de acordo com a atividade do paciente, extensão da área lipoaspirada e quantidade de gordura retirada. É recomendado um repouso maior nos primeiros cinco dias de cirurgia. O retorno às atividades laborais se dá a partir do 7º dia, dependendo da evolução de cada paciente. A partir do 15º dia podem ser retomadas atividades físicas leves, que serão progressivamente aumentadas até sua total liberação em torno do 30º dia.

A gordura retirada pode ser colocada em outras áreas do corpo?
Sim, é o que chamamos de lipoescultura. A gordura retirada de áreas como o abdome e flancos pode, por exemplo, ser enxertada na região glútea aumentando e remodelando o bumbum. Há uma pequena reabsorção dessa gordura no pós-operatório, mas com o uso de técnicas adequadas e cuidados específicos o resultado é expressivo e duradouro.